COMO RECONHECER UM CRENTE/EVANGÉLICO?

Este é o nome de um artigo postado em blog brasileiro. Veja o que dizem de suas filhas e de vocês, irmãos e irmãs evangélicos. Conteúdo EXTREMAMENTE OFENSIVO, impróprio para menores de idade. Fica a pergunta: ONDE ESTÃO AS AUTORIDADES DESTE PAÍS? Maiores de idade cliquem aqui.

domingo, 21 de dezembro de 2014

HETEROSSEXUALIDADE está inscrita no DNA. Homossexualidade NÃO !

Ser homem ou mulher está inscrito no DNA, assegura especialista      


ACI/EWTN Noticias

Luis Jensen
Luis Jensen
SANTIAGO, 16 Dez. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Luis Jensen, médico membro do Instituto das Famílias de Schoenstatt e do Centro de Bioética da Pontifícia Universidade Católica do Chile, assinalou que a homossexualidade “jamais vai permitir o desenvolvimento pleno da satisfação da complementariedade”.

No dia 10 de dezembro deste ano, apresentou-se no Chile um projeto de lei de “Matrimônio Igualitário”, que quer modificar a Lei do Matrimônio atual para permitir as uniões homossexuais.

O projeto de lei foi pensado e redigido pelo Movimento de Integração e Libertação Homossexual (Movilh), o mesmo que criou o conto “Nicolás tem dois papais”.

Em declarações feitas ao Grupo ACI, Jensen indicou que “se eu acredito que na natureza tudo tem o mesmo valor, então a pessoa desaparece, porque a pessoa é o mais extraordinário, é distinta, é outra entidade diferente ao resto das coisas naturais”.

“O ser homem e mulher, que são as duas formas de ser pessoa, tem uma razão de ser, um por quê, um para que, está inscrito no DNA. Se você ignorar isso, está ignorando uma coisa que não é eletiva, mas constitutiva”, afirmou.

Luis Jensen explicou que “a pessoa que realmente necessita se move para procurar o outro e se enriquece com o outro. E nessa relação, descobre que o outro também tem necessidades. E para fazê-lo feliz, que é a essência do amor, dá o mais próprio de si como dom, como presente ao outro. Essa é a dinâmica do amor, a dinâmica do dom, da gratuidade”.

Entretanto, advertiu o perito, as relações que se estabelecem hoje “não têm como base a complementariedade”.

Jensen sustenta que “estas relações (homossexuais) ficam na reciprocidade: em que eu te dou e você me dá, que é na verdade um intercâmbio comercial, funcional, estrutural, mas não da natureza da pessoa. Onde está a gratuidade? Já não é a dinâmica do amor mas a dinâmica da organização, do intercâmbio, da comercialização”.

Para o médico, a polaridade homem-mulher tem a sua causa na “unidade do homem e da mulher por quanto são capazes de complementar-se em todos os campos”.

“Isso jamais vai acontecer na homossexualidade, por muita imitação que façam, por muita intenção, boa vontade ou amor pessoal que tenham, não acontece. Por isso mesmo, acredito que hoje querem tirar o conceito da complementariedade do vocabulário e ficar com o da reciprocidade”.

Para Jensen, atualmente se busca “reduzir o tema do essencial do ser humano a róis: Há um rol feminino e um rol masculino, um rol paternal e um rol maternal, e já não se responde ao que é a natureza masculina e feminina”.


“Tomou-se o mundo social como referência e não o mundo pessoal”, criticou, denunciando que agora “os modelos se constroem em base a como se organizou socialmente o homem e não em base ao que é o homem”.

PAIS LEIAM ESTA MATÉRIA, VOCÊS PRECISAM SABER MAIS SOBRE ISSO: "Totalitarismo de gênero"

20 de dezembro de 2014


Totalitarismo de gênero

No Brasil e no exterior, ideologia de gênero causa perseguição

Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz
Por ocasião da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013, foi distribuída aos jovens uma cartilha intitulada “Keys to Bioethics” (Chaves para a Bioética). Produzida pela Fundação Jéròme Lejeune e traduzida em diversas línguas, ela pretendeu ser um manual de Bioética para jovens, respondendo a questões atuais de maneira direta, objetiva e repleta de ilustrações. Um apêndice de oito páginas foi dedicado a explicar e refutar a “teoria do gênero”. A cartilha explica que, segundo essa ideologia, “a identidade sexual do ser humano depende do ambiente sociocultural e não do sexo – menino ou menina – que caracteriza cada ser humano desde o instante da concepção. [...]

A nossa identidade feminina ou masculina teria muito pouco a ver com a realidade do nosso corpo, e de fato nos seria imposta pela sociedade. Sem outra escolha, desde a mais tenra infância cada pessoa interiorizaria o papel que supostamente deve desempenhar na sociedade na condição de mulher ou de homem”. Após a explicação, vem a crítica: “A teoria de gênero subestima a realidade biológica do ser humano. Reducionista, supervaloriza a construção sociocultural da identidade sexual, opondo-a à natureza”.
Exemplares da cartilha que sobraram da JMJ 2013 foram distribuídos em março de 2014 aos professores que participaram do X Fórum de Ensino Religioso, promovido pela Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro. Ora, esse material incomodou o grupo de pesquisa “Ilè Obà Òyó”, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

A coordenadora do grupo, professora Maristela Gomes de Souza Guedes (autodenominada Stela Guedes Caputo) noticiou o fato ao Ministério Público do Rio de Janeiro, dizendo que as páginas da cartilha são “recheadas de conservadorismo, homofobia e discriminação contra a mulher, com ilustrações perversas e debochadas”[1].

A promotora Renata Scharfstein, da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Proteção à Educação da Capital, após a abertura de um inquérito civil, determinou que a Secretaria de Educação recolhesse as cartilhas distribuídas no Fórum por considerar seu conteúdo “discriminatório (homofóbico e machista)”, além de vinculado a religiões (!).

Determinou ainda a realização de campanhas em toda a rede estadual sobre a necessidade do “respeito a todos os modelos familiares [sic] e orientações sexuais [sic] existentes na sociedade, bem como a fim de neutralizar qualquer conteúdo eminentemente religioso [sic] divulgado na (s) cartilha (s)”, em especial aquele que repudia “o conteúdo descrito como teoria do gênero”[2].

A decisão da promotora surpreendeu a própria denunciante Stela Caputo, que a considerou “inédita e histórica”. Espantosa foi a subserviência da Secretaria de Educação, que, sem questionar o abuso de poder do Ministério Público, informou que já havia providenciado o recolhimento das cartilhas e comprometeu-se a não mais realizar fóruns de ensino religioso[3].
Ora, o Ministério Público deve agir como fiscal da lei, e não como partidário de uma ideologia. Muito menos de uma ideologia que, desprezando a base biológica da natureza humana, pretende legitimar os mais aberrantes comportamentos sexuais, desde o homossexualismo até o incesto e a pedofilia.
Ao agir desse modo, o Ministério Público abriu um perigoso precedente. Se a cartilha sobre Bioética foi condenada por opor-se à ideologia de gênero, de modo análogo poderia ser condenado o uso da Bíblia, que usa palavras muito duras para qualificar o homossexualismo: “abominação” (Lv 18,22; 20,13), “paixões aviltantes”, “relações contra a natureza”, “torpezas”, “aberração” (cf. Rm 1,26-27).
Note-se que essa arbitrariedade do Ministério Público foi cometida sem que esteja em vigor qualquer lei federal que considere crime a oposição ao homossexualismo. Imagine-se qual será a intensidade da perseguição da ideologia de gênero se uma lei “anti-homofobia” for aprovada, como tanto deseja nosso governo do PT.

Enquanto isso, na Alemanha...

Matéria do jornalista Leone Grotti transcrita da revista italiana on line Tempi.it de 13/11/2014[4]
Em 24 de outubro [de 2014], um oficial da polícia apresentou-se à porta da família Martens em Eslohe, pequeno município da Renânia Setentrional, Vestfalia, na Alemanha. Enquanto abria a porta, Eugen já sabia a finalidade daquela visita: a prisão da esposa e mãe dos seus nove filhos Luise. Sabia tudo de antemão porque pelo mesmo motivo ele próprio já tinha sido preso em 8 de agosto de 2013.
O que fizeram de tão grave os dois cônjuges de 37 anos de modo a merecerem a prisão? Não mataram, não roubaram nem causaram dano a ninguém. Sua única culpa é a de serem pai e mãe de uma menina que se recusou a participar duas vezes das aulas de educação sexual previstas pelas escolas primárias. No ano passado Luise não foi levada à prisão com o marido porque estava grávida. Neste ano, o oficial da polícia não a “levou à força como deveria” porque está ainda amamentando o último filho. “Infelizmente, porém, não termina aqui. A procuradoria fará aplicar a decisão do juiz”, afirma o policial...
“Muitíssimas famílias estão nesse mesma situação do casal Martens na Alemanha, declara a tempi.it Matias Ebert, casado, com quatro filhos, que depois de tomar conhecimento da história dos Martens, decidiu fundar em Colônia a associação “Besorgte Eltern” (“Pais preocupados”). O movimento já organizou diversas manifestações na Alemanha com milhares de participantes a fim de que “se discuta publicamente esse escândalo gigantesco e se impeça a corrupção de nossos filhos”, que a partir de seis anos devem participar de cursos de educação sexual onde se propugna a ideologia de gênero.
Por que se uma menina falta a duas oras de aula os pais são colocados na prisão?
Na Alemanha a escola é obrigatória e se uma criança falta às lições, a escola tem a faculdade de denunciar os pais e o tribunal pode multar a família. Os cônjuges Martens por isso receberam uma multa de cerca de 30 euros. Isso é absurdo porque a filha abandonou a aula por sua própria iniciativa.
A família não podia pagar e pronto?
Não, porque é uma questão de princípio. O que irrita é que o tribunal use dois pesos e duas medidas. Algumas crianças não vão à escola por meses e nada acontece com os pais. Mas quando uma menina falta duas horas de educação sexual, a família é prontamente denunciada. [...]
Por que a menina não queria participar dos cursos de educação sexual?
Porque o conteúdo das lições é perverso. Não só se mostra às crianças como funciona o sexo dos homens e das mulheres, mas se lhes põe diante de uma “variedade” de práticas sexuais: sexo oral, sexo anal e muitos outros.
Diz-se também às crianças, desde a escola primária, que o seu gênero não é determinado e que não podem saber se são meninos ou meninas, que devem refletir sobre isso. Isso para mim se chama manipulação dos pequeninos.
Há outros casos além do da família Martens?
Certamente. Não conheço o número exato dos pais presos, mas só o pequeno grupo de pais da cidade de Paderborn (150 mil habitantes) passou ao todo nos últimos anos 210 dias na prisão. É um escândalo gigantesco também porque são as próprias crianças que querem sair da aula. Na cidade de Borken, por exemplo, em uma classe a lição perturbou tanto as crianças que seis delas desmaiaram.
[1] http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2014-04-26/mp-cartilha-polemica-na-mira.html
[2] http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/11/1553289-governo-do-rio-recolhe-cartilhas-consideradas-homofobicas-pelo-mp.shtml. O destaque é nosso
[3] Cf. http://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/por-ordem-do-mp-governo-do-rio-recolhe-cartilhas-homofobicas-suspende-foruns-religiosos-14648765#ixzz3K6uRCn8e
[4] http://www.tempi.it/germania-scandalo-genitori-incarcerati-figli-corsi-gender-scuola#.VIcmOTHF9qV
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

DOCUMENTÁRIO COMPLETO: : A triste realidade do povo CUBANO

A TRISTE REALIDADE DO POVO CUBANO. É ISSO QUE DILMA, LULA, PT E OS COMUNISTAS QUEREM PARA O BRASIL? VOCÊ VAI PERMITIR ISTO?

https://www.youtube.com/watch?v=-przPCV-Yig


Para aquellas personas que aún no hayan visto el presente material, aqui se lo presentamos.

Se trata de un interesante documental que recrea dia a dia, la vida del cubano dentro de Cuba, sus necesidades, carencias y sus miedos; su título: Cuba: "La triste realidad del cubano de a pie."

Para ello, la enviada especial Leana Astorga visita la isla y convive con ese cubano personalmente. Este material consta de 5 partes, y ha sido unificado en una sola para mayor facilidad al momento de verse. Solicitamos a aquellas personas que lo reciban, que no borren el correo una vez visto y lo reenvien a sus familiares y amistades. En solidaridad con el dolor de estas personas que nos ofrecen sus testimonios a viva voz, contribuya y corra la voz. 

Cai a casa para Gleisi Hoffmann, Renan Calheiros, Roseana Sarney e outros 25 na Lava Jato

Cai a casa para Gleisi Hoffmann, Renan Calheiros, Roseana Sarney e outros 25 na Lava Jato

Se você ainda não curtiu, curta o FCS Brasil no Facebook:
Cai a casa para os primeiros 28. Logo tem mais da parte de Costa ainda e de Youssef

Paulo Roberto Costa relata em 80 depoimentos relação que inclui ministro e ex-ministros da gestão Dilma Rousseff, governador, ex-governadores e parlamentares; são, ao todo, 10 nomes do PP, 8 do PT, 8 do PMDB, 1 do PSB e 1 do PSDB.
Primeiro delator da Lava Jato, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa citou em 80 depoimentos que se estenderam por duas semanas, entre agosto e setembro, uma lista de 28 políticos – que inclui ministro e ex-ministros do governo Dilma Rousseff (PT), deputados, senadores, governador e ex-governadores.

AINDA TEM MAIS, LOGO LOGO

Fonte: 

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

DEP.MARCO FELICIANO: "O estupro da Petrobrás e a gritaria contra Bolsonaro".




O estupro da Petrobrás e a gritaria contra Bolsonaro


Muito se poderia dizer sobre a gritaria contra Jair Bolsonaro (PP/RS), que ironicamente reafirmou que a deputada Maria do Rosário (PT/RS) não merecia ser estuprada. Reafirmou, pois Bolsonaro já havia feito a afirmativa em outra ocasião. Mais precisamente em 2003. Após ser chamado de estuprador pela parlamentar petista, Bolsonaro rebateu com a frase: “Não estupro porque você não merece”.
 É evidente que Bolsonaro não teve a intenção de fazer apologia ao estupro, como afirma a vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko, que denunciou o parlamentar por incitar publicamente a prática do crime de estupro. Crime este que tem crescido em proporções alarmantes: Segundo dados do Anuário de Segurança Pública, o país teve 50.617 casos registrados em 2012, um crescimento de mais de 18% em relação ao ano anterior.
A questão é que ninguém merece ser estuprada. Sobretudo as mulheres. “Estupro” procede do termo latino stupru que deriva da palavra  violatione. Bolsonaro disparou contra Maria do Rosário, por sua vigarice ideológica, quando ela fugia do Plenário da Câmara para não ouvir seu discurso contra a dita Comissão Nacional da Verdade. “Não saia, não, Maria do Rosário, fique aí! Há poucos dias, você me chamou de estuprador no Salão Verde, e eu falei que eu não estuprava você porque você não merece. Fique aqui para ouvir”.
Maria do Rosário é uma das responsáveis pelo estupro da dignidade militar. Uma afronta petista contra as Forças Armadas, instituição que sempre apareceu entre as mais respeitadas nas pesquisas. O povo ainda tem em alta nossos militares. Aliás, este é justamente outro sentido da palavra latina stupru: sentido genérico de afronta ou infâmia.
Outra instituição que foi estuprada, mesmo não merecendo, foi a Petrobrás. As denúncias de corrupção e os escândalos envolvendo o Governo nos levam a sensação de que não havia defesa contra esta violação. Em terra sem lei o que se faz não merece atenção, mas o que se diz provoca o borburinho ensurdecedor dos moralistas contumazes.
Assista ao vídeo:
MARIA DO ROSÁRIO CHAMANDO O DEP.JAIR BOLSONARO DE "ESTUPRADOR"


Fonte: http://www.marcofeliciano.com.br/blog/o-estupro-da-petrobras-e-a-gritaria-contra-bolsonaro/#comment-1295

ATENÇÃO...ESPANHA SE PRONUNCIA SOBRE AS CHACINAS DO GOVERNO MADURO NA VENEZUELA



martes, 16 de diciembre de 2014



Aznar pide a comunidad internacional actuar contra el régimen de Maduro.

El expresidente del Gobierno español José María Aznar pidió a la comunidad internacional que actúe contra el régimen de Nicolás Maduro y contribuya “al restablecimiento del pleno respeto de las libertades, de la democracia, del Estado de derecho y de los derechos humanos en Venezuela”.

Tras ser distinguido  en Lima con la medalla a los “Valores democráticos” entregado por la universidad San Ignacio de Loyola (USIL), Aznar recordó los casos de los políticos venezolanos Leopoldo López, preso actualmente, y María Corina Machado, a la que el Gobierno de Maduro acusa de conspirar para asesinar al gobernante.

“Es hora de denunciar estas circunstancias inaceptables y aprovecho este foro para exhortar a los países y a los organismos regionales e internacionales a que actúen en consecuencia, reivindicando la libertad y los derechos de todos los demócratas venezolanos”, enfatizó.
Consideró que la acusación contra Machado es “peregrina e injustificada” y que la detención de López es “ilegal e ilegítima” y que en Venezuela se presenta una “constante presión política y judicial que de forma cotidiana sufre la oposición democrática”.

“Una pronta y contundente respuesta de la sociedad internacional contribuirá sin duda al restablecimiento del pleno respeto de las libertades, de la democracia, del Estado de derecho y de los derechos humanos en Venezuela”, remarcó.

El expresidente del gobierno español recordó que hace poco firmó junto al expresidente de Chile Sebastián Piñera “una carta abierta en defensa de la libertad y derechos de todos los demócratas venezolanos”, que le ha valido una dura respuesta de Maduro.

El jefe de Estado de Venezuela llamó “asesino” a Aznar y lanzó hoy una propuesta para que sea juzgado, junto a Estados Unidos, en la Corte Penal Internacional por crímenes de guerra por los ataques contra Libia, Irak y Siria.

Aznar dijo hoy, al respecto, que en la carta firmada junto a Piñera afirmaron que se deben tomar medidas para frenar el régimen venezolano.

“Lo reitero hoy aquí antes vosotros, que dado el agravamiento de los atentados contra las libertades, la democracia, el estado de derecho y los derechos humanos en Venezuela, ha llegado el momento de hablar y actuar alto y franco rompiendo, quien lo haya mantenido, el silencio y poniendo fin a la ambigüedad y pasividad respecto del comportamiento antidemocrático del gobierno de Venezuela”, dijo.

Agregó que en América Latina se han alcanzado en las últimas décadas “unas cuotas de progreso y desarrollo verdaderamente extraordinarias”, pero también “hay excepciones a esa bonanza y democratización generalizadas y una de ellas, de las más dramáticas, es la de Venezuela.”

“Allí impera un régimen de corte socialista que une rasgos premodernos, esto es el caudillismo; modernos, el marxismo leninismo más descarnado; y posmodernos, es decir, un pensamiento débil y el relativismo cultural”, acotó.

Aznar consideró que esa situación también “ahora amenaza con destruir ese preciado y eficaz orden en países del viejo mundo, uno de los cuales es desgraciadamente el mío, España”.

“El lenguaje empleado por estos populistas irresponsables es en todas partes el mismo: una retórica pueril, demagógica, insidiosa, que apela a la envidia igualitaria y que pretende dar respuestas sencillas a problemas complejos, ese es el lenguaje del populismo”, comentó.
En la ceremonia, celebrada en el Aula Magna de la USIL, en el distrito limeño de La Molina, participaron el fundador de la universidad, Raúl Diez Canseco, el expresidente peruano Alejandro Toledo y el excanciller Allan Wagner, entre otras personalidades.

En noviembre de 2009, Aznar fue nombrado Doctor Honoris Causa de la USIL y en octubre de este año fue designado presidente del Consejo Consultivo de su Facultad de Derecho. EFE.

Fonte: http://www.noticensura.com/2014/12/aznar-pide-comunidad-internacional.html

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...