COMO RECONHECER UM CRENTE/EVANGÉLICO?

Este é o nome de um artigo postado em blog brasileiro. Veja o que dizem de suas filhas e de vocês, irmãos e irmãs evangélicos. Conteúdo EXTREMAMENTE OFENSIVO, impróprio para menores de idade. Fica a pergunta: ONDE ESTÃO AS AUTORIDADES DESTE PAÍS? Maiores de idade cliquem aqui.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

JEAN WYLYS SE DÁ MAL:"Ministério Público arquiva denúncia dele contra pastor ex-homossexual"

Ministério Público arquiva denúncia de Jean Wyllys contra pastor ex-homossexual, diz advogada

Publicado por Tiago Chagas em 26 de janeiro de 2015


Ministério Público arquiva denúncia de Jean Wyllys contra pastor ex-homossexual, diz advogada

Jean Wyllys (PSOL-RJ), deputado federal e ativista gay, sofreu uma derrota na última sexta-feira, 23 de janeiro, ao ter sua representação criminal contra um pastor ex-homossexual que ministra palestras com seu testemunho de abandono da prática.

O Ministério Público Federal (MPF) decidiu arquivar a denúncia feita por Jean Wyllys contra o pastor e escritor Claudemiro Ferreira, após colher seu depoimento e chegar à conclusão de que os relatos de vida e de fé apresentados em suas palestras não transgridem nenhuma lei em vigência no país.

Ferreira foi abordado na última quinta-feira, 22 de janeiro, por oficiais do Ministério Público, durante uma palestra que ele ministrava ao lado do teólogo Airton Williams no Distrito Federal. O evento fazia parte da divulgação do livro “Homossexualismo: ajudando, biblicamente, a prevenir e tratar aqueles que desejam voltar ao padrão de Deus para sua sexualidade”, escrito por Ferreira.

A abordagem foi feita após Jean Wyllys denunciar o evento ao MP como uma reunião onde os palestrantes estariam promovendo a “cura gay”. Ao mesmo tempo em que fez a denúncia, o parlamentar publicou uma crítica ao evento em sua página no Facebook.

A informação de que o processo foi arquivado foi revelada pela assessora parlamentar concursada Damares Alves, que é advogada e pastora. "Celebrem! Acabou agora a audiência no Ministério Público. O promotor de Justiça decidiu pelo arquivamento da denúncia. Claudemiro Ferreira não estava cometendo crime algum. Que viva a liberdade religiosa!”, escreveu a pastora em sua página no Facebook.

Posteriormente, Damares criticou a postura do parlamentar e ativista gay: “O Deputado Jean Willys assume a autoria da denuncia no MPDF contra o Claudemiro Ferreira e agora quer também que a Secretaria Nacional de Direitos Humanos e o Ministério da Saúde faça alguma coisa também contra o Claudemiro. Será que o ilustre deputado também não quer acionar a Policia Federal, a Marinha, o Exercito a Aeronáutica contra o Claudemiro Ferreira? Será que não quer chamar FBI a Interpol, a SWAT? Tanta coisa para um parlamentar fazer no Brasil e ele preocupado com um curso que tinha apenas 25 pastores presentes querendo tão somente aprender sobre como acolher e lidar com os milhares de homossexuais que tristes e deprimidos procuram nossas igrejas. E o nobre parlamentar ainda esqueceu de dizer que o MPDF arquivou a denuncia”, concluiu.

ADENDO ADHT: A verdade relativa ao sério problema do Ativismo Gay pregado por Jean Wyllys é que tem colaborado fortemente para muitos adolescentes e jovens "experimentarem" a prática homossexual e acabam por ser vítimas dela. Veja o desespero de mais de 300 homossexuais que escreveram para o nosso email: defesa_hetero@yahoo.com pedindo urgente ajuda para sair desta prática considerada por eles como maléfica à saúde física, psicológica, emocional e espiritual, conforme postamos mais de uma CENTENA de emails sem revelar seus nomes no link: http://defesa-hetero.blogspot.com/2014/11/emails-de-homossexuais-pedindo-ajuda.html. Preste atenção no desespero de variados homossexuais que falam em suicídio se não conseguirem deixar a homossexualidade e o CPF proibe psicólogos de prestar ajuda aos que desejam deixar esta prática colaborando com o Ativismo Gay que tem muitos objetivos, principalmente financeiros para não querer que seus "clientes" deixem de comprar seus produtos vendidos através da internet e em lojas especializados para o segmento gay.

Líder do PSDB apela ao TCU e MPF para apurar empréstimos a grupo de cervejaria

Líder do PSDB apela ao TCU e MPF para apurar empréstimos a grupo de cervejaria

25 de janeiro de 2015

antonio imbassahy foto agencia camara 3O líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), vai protocolar nesta semana representação no  Ministério Público Federal e um pedido de auditoria especial ao TCU (Tribunal de Contas da União) para que sejam investigados dois empréstimos que somam R$ 830 milhões tomados junto ao BNB (Banco do Nordeste) ao Grupo Petrópolis, da cervejaria Itaipava. Também será apresentado requerimento de informação por meio da Lei de Acesso à Informação ao BNB.
De acordo com reportagem da revista Época, em setembro, o grupo entrou com pedido no BNB para que fosse dispensado da obrigação de apresentar fiança em um dos empréstimos, o que reduziria os custos para a empresa.
O pedido foi analisado e aprovado em cinco instâncias do banco em 24 horas. Doze dias após a aprovação, o grupo Petrópolis doou R$ 5 milhões à campanha presidencial do PT. Até 3 de outubro, a dois dias do primeiro turno, foram repassados outros R$ 12,5 milhões. No total, foram doados R$ 17,5 milhões. O grupo tornou-se, assim, o quarto maior doador da campanha da presidente Dilma. Ainda segundo a reportagem, o presidente do grupo, Walter Faria, é próximo de Lula e do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.
Para Imbassahy, a operação, uma transação cruzada, é uma imoralidade. “É mais um exemplo de que o PT e a presidente Dilma institucionalizaram o toma-lá-dá-cá e transformaram as instâncias do Estado brasileiro em um balcão de negócios para mantê-los no poder. Perderam completamente a vergonha e ultrapassaram todos os limites. Isso é inadmissível e precisa ser rigorosamente investigado e punido”, afirmou o Líder do PSDB.
*Da Liderança do PSDB na Câmara

Fonte: http://www.psdb.org.br/psdb-pedira-ao-tcu-e-mpf-investigacao-sobre-emprestimos-bnb-grupo-de-cervejaria/

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Freira implora por cristãos estuprados, vendidos e mortos pelo ISIS...TEMOS QUE BOTAR A BOCA NO TROMBONE!

25 de janeiro de 2015


Freira implora por cristãos estuprados, vendidos e mortos pelo ISIS

Refugiados vivem 'como animais' em campos de refúgio

Leo Hohmann
É a temporada de "paz na Terra", mas a irmã Hatune Dogan sente um calafrio no seu espírito, que só poderia ser sentido em um tempo de guerra.
Hatune Dogan
A freira cristã ortodoxa o sente a cada nova atrocidade cometida contra as minorias Yazidi e cristãs da Síria e do Iraque. Ela o sente nas igrejas queimadas em todo o Egito e na matança de crianças inocentes no Paquistão.
Por esta razão, ela trouxe uma palavra de advertência para os americanos em uma visita na semana passada em Minnesota, onde ela falou com vários grupos de igrejas.
O clima político de hoje lembra o de 1915 e em sua pátria, a Turquia, quando sua família sofreu a crueldade do califado otomano, que massacrou 3 milhões de cristãos e reduziu outros à condição de cidadãos de segunda classe sob a subjugação ou "dhimmitude".
O ISIS não tem nada de novo, disse ela, é apenas o ressurgimento do lado negro do Islã.
"O ISIS não é fanático. O ISIS não é mais terrível. O ISIS representa os crentes muçulmanos reais que gostam de seguir o Corão e a Maomé", disse o fundador da Warburg, a Fundação da Irmã Hatune sediada na Alemanha, uma organização de ajuda em nível mundial, que foi homenageada pelo governo alemão por sua dedicação aos direitos humanos.
"Outros dizem que eles é que são muçulmanos. Eles dizem acreditar no Corão, mas eles não o seguem", disse ela.
Os cristãos armênios representam cerca de metade dos 3 milhões de pessoas que perderam a vida na Turquia, mas a outra metade era de cristãos de várias origens étnicas – ortodoxos gregos, ortodoxos sírios e protestantes. Todos sentiram as crueldades da guerra santa islâmica contra as suas cabeças.
A irmã Hatune chegou na última quinta-feira (18/12/2014) no aeroporto de Atlanta para uma parada em seu caminho de volta para a Alemanha. Ela estava vestida com roupas pretas tradicionais e um hábito que cobre o cabelo dela. Ela usava um crucifixo simples de madeira ao redor de seu pescoço e levou com ela uma cópia já gasta pelo uso do Corão, que se tornou seu companheiro constante por onde passa para ensinar sobre a atual situação no Médio Oriente.
Ela acredita que os cristãos do Ocidente precisam saber o que está escrito no livro sagrado dos muçulmanos. Se o fizessem, eles iriam perceber que tudo o que o Estado islâmico, também chamado de ISIS, está fazendo já foi feito no passado por muçulmanos devotos que conquistaram um povo e que eles veem como "infiéis".

Onde estão todos os cristãos?

A irmã Hatune aponta para o fato de que 96 por cento das pessoas que povoaram o Oriente Médio, na virada do século VIII, eram cristãos. Agora, a população cristã diminuiu para 6 por cento. A Turquia já foi quase toda cristã, mas agora é 0,03 por cento cristã. O Iraque tinha 1 milhão de cristãos sob Saddam Hussein, mas agora apenas alguns milhares permanecem e as igrejas de Bagdá estarão quase vazias neste Natal.
"Onde estão os cristãos? Onde estão essas pessoas? Basta perguntar a si mesmo", disse a freira destemida, cuja língua nativa é o aramaico.
Sua família viveu inicialmente na Turquia, como judeus, mas depois toda a sua aldeia se converteu ao Cristianismo.
Nascida em 1970, a filha do meio entre 10 filhos, a irmã Hatune aprendeu a falar 13 línguas, mas nenhuma a torna mais orgulhosa do que o aramaico.
"Esta é a língua de Jesus", ela disse ao WND.
A Fundação Irmã Hatune funciona em 35 países com Mateus 25:34-40 como a sua declaração de missão – alimentando, vestindo, abrigando e prestando assistência médica aos pobres e perseguidos do mundo. Ela tem feito viagens regulares para o Oriente Médio desde 2005, e o ISIS apresenta um novo desafio: tentar resgatar as crianças órfãs de suas garras.
A irmã Hatune voltou para seu convento na Alemanha por apenas alguns dias antes de ela fazer outra viagem ao Oriente Médio para celebrar o Natal com os cristãos perseguidos. Ela estava com eles em novembro, quando ela visitou os campos de refugiados no Iraque, na Jordânia, no Líbano e na Turquia. Ela também foi furtivamente para a Síria para se reunir com os cristãos de lá.
"Eles precisam de seu apoio. Sem o seu apoio eles não podem continuar", diz ela em um vídeo mostrando como é um grupo de refugiados de Yazides. "Eles vivem como animais. Morrendo de fome. Sem nenhum alimento. Sem saúde. Ninguém deveria ter que viver assim".
É uma situação difícil que ela conhece muito bem. A pergunta "O que aconteceu com todos os cristãos?" é puramente retórica e completamente pessoal. Sua família viveu durante o genocídio de 1915, na Turquia, país de onde seus pais fugiram em 1985.
Sua tia-avó, Sarah, viveu a perseguição em Zaz, uma pequena aldeia no sudeste da Turquia, em 1915.
"Ela tinha 18 anos de idade, muito bonita. Um dos homens muçulmanos a viu e disse: 'Ela é linda. Ela pertence a mim'", disse a irmã Hatune.
Sarah tinha quatro irmãos, a mãe e o pai, vários primos, tias e tios que viviam na aldeia.
"Doze ao todo, em outubro de 1915, eles os mataram na frente de seus olhos", disse a irmã Hatune, apontando com as mãos e falando com um forte sotaque. "Atiraram neles diante de seus olhos".
A operação foi realizada por jihadistas islâmicos, ambos os turcos e os curdos, com a bênção do exército turco.
"Foi planejado", disse ela.
Ao todo, 365 membros da igreja de sua família, St. Demetrios, foram assassinados, o que representa cerca de metade da população da aldeia.
"Primeiro eles atiraram neles. Mais da metade ainda estavam vivos quando eles os queimaram vivos na igreja, em 1915, na minha aldeia", disse ela.
Sua bisavó tinha dois filhos e foi forçada em 1921 a implorar aos seus senhores muçulmanos para deixá-la manter um deles e criá-lo como um cristão.
É a mesma experiência que está ocorrendo hoje sob o ISIS no Iraque e na Síria.
"As moças mais bonitas eles tomam para serem suas esposas e dizem: 'agora você tem de ser muçulmana'", disse a irmã Hatune.
As outras são forçados a se converterem ou morrerem. Muitas foram mortos na frente de seus pais. Ela tem um vídeo contrabandeado para fora do Iraque, que mostra três meninos, em torno de 5 ou 6 anos de idade, sendo psicologicamente atormentados por seu eventual assassino.
"Digam-me a cabeça de quem devo cortar em primeiro," o homem pergunta a eles em árabe.
Uma longa faca de açougueiro está pronta em uma mesa ao lado dele.
"Vamos colocar a cabeça aqui", diz ele, enquanto os meninos gritam de terror.
Eles dão um passo atrás, mas os limites da pequena sala não deixam espaço para onde correr.
Quando nenhum dos meninos dá um passo à frente para oferecer o pescoço, o homem grita: "Venham todos vocês. Venham todos vocês!".
Ele pega um dos meninos. O de camisa branca. O menino grita e os outros dois choram.
"Você é do ISIS?", O homem grita para o menino que está gritando. "Você é do ISIS?".
"Não!", O menino responde em meio às lágrimas.
Todos os três foram decapitados. A freira disse que recebeu o vídeo de um parente dos três rapazes.
Em outro vídeo, filmado em 2013, três padres cristãos são mostrados sendo levado para fora em um campo com as mãos amarradas. Um homem muçulmano luta com um sacerdote e joga-o no chão e corta-lhe a cabeça, enquanto várias centenas de muçulmanos gritam: "Allahu Akbar! Allahu Akbar! Allahu Akbar!".
Irmã Hatune segura no colo um menino desnutrido na Índia, uma das dezenas de países em que a sua fundação trabalha.

‘Eu acredito em Ação’

Baseando-se em seu próprio historico de família, a irmã Hatune recentemente terminou o trabalho de seu 13º livro, "I Believe in Action" (Eu acredito em ação), escrito para comemorar o 100º aniversário do genocídio cristão na Turquia. Neste livro, ela compara a vida de Jesus com a de Maomé, o principal profeta do Islã.
"Eu não escrevo da minha cabeça. São todos fatos", disse ela. "Maomé veio e trouxe a morte, a decapitação, a pedofilia. Ele dormiu com uma menina de 9 anos de idade, casou-se quando ela tinha 6 anos de idade. Sabemos porque ela diz isso no Hadith. No Iêmen hoje, onde a xariá é a lei, eles têm que se casar com a menina antes de sua primeira menstruação, no máximo aos 13 anos de idade, porque está escrito".
A irmã Hatune folheia o seu Corão e encontra um outro verso que diz esse livro que leva os muçulmanos a assassinarem os cristãos no Oriente Médio.
"Vinte e cinco vezes no Corão diz para matarem os cristãos, porque estamos envolvidos em politeísmo", disse ela, explicando que os muçulmanos não entendem o conceito da Santíssima Trindade.  “Além disso, o Corão diz para não fazer amizade com os cristãos”.
A Europa está a caminho de se tornar o próximo campo de batalha do Islã, em especial na Bélgica e na França, onde os muçulmanos representam de 6 a 10 por cento da população. O país de adoção da irmã Hatune, a Alemanha, tem pelo menos 4 por cento de muçulmanos e tem mais de 4.000 mesquitas.
"A mesquita não é apenas para a oração", disse a freira. "É para se prepararem para matar o incrédulo e controlarem o mundo".
No Corão há 97 versos contra o incrédulo.
"E há versos contra os cristãos que dizem que Deus é Pai, Filho e Espírito Santo, ou que Jesus é o Filho de Deus. Eles têm de ser decapitados, a cabeça cortada no pescoço; nenhuma outra interpretação. Isto é o que os muçulmanos estão fazendo. Os muçulmanos normais, que são realmente muçulmanos, têm que seguir esta regra", disse ela. "Nunca haverá paz na Terra se esses versículos do Corão não forem parados. Está no Corão, no Hadith e na Sunna 36.800 vezes, as palavras 'corte', 'mate' ou 'ataque'. Como pode haver paz na Terra?".
O Corão também dá permissão aos homens muçulmanos para estuprarem meninas e mulheres que são mantidas em cativeiro como escravas (Sura 23:5-6).
Em cidades conquistadas, o ISIS tem marcado as casas dos cristãos com um símbolo vermelho do Nazareno. Em seguida, são visitadas por combatentes do ISIS que trazem horrores indizíveis sobre as famílias.
A irmã Hatune diz que isto é justificada pela Sura 5:33 do Corão, que afirma:
"De fato, a pena para aqueles que travam uma guerra contra Alá e Seu Mensageiro e se esforçam na terra [para causar] corrupção é nenhuma outra senão que eles sejam mortos ou crucificados ou que suas mãos e pés sejam cortados a partir dos lados opostos ou que sejam exilados da terra".
Os defensores do islamismo no Ocidente dizem que o versículo é tirado de contexto por "islamofóbicos", mas a irmã Hatune acredita no contrário.
"Aqueles entre nós, cristãos do Oriente Médio. Nós os conhecemos. Sabemos as suas regras", disse ela.
Hoje, existem 57 países islâmicos que vivem sob a lei islâmica.
"A educação não é permitida para as meninas. As mulheres são criadas para o sexo para os seus senhores", disse ela. "Se ela for estuprada ela tem que trazer quatro homens com ela como testemunha. Claro que isso é impossível, então ela será apedrejada. Existem muitas mulheres e meninas que morrem de apedrejamento".
A irmã Hatune lembra de ir para a escola na Turquia quando era uma jovem. Mesmo que todos na sua aldeia fossem cristãos, nenhum cristão era autorizado a ocupar posições de autoridade sob a lei islâmica, porque todos os seus professores eram muçulmanos. Se as crianças cristãs fossem pegas indo à igreja o professor iria surrá-las, geralmente, batendo as mãos com uma haste de metal.
Ela disse que o governo turco confiscou todas as armas dos cristãos antes de lançar uma jihad violenta contra eles.
"Aldeia por aldeia eles vinham e diziam: 'Se você não der suas armas vamos colocá-lo na prisão por sete anos'", disse ela.
Com a idade de 14 anos, a irmã Hatune deixou a Turquia com seus pais, em 1985, encontrando refúgio na Alemanha. Ela se juntou a um mosteiro chamado Irmãs Servidoras de Cristo quando tinha 16 anos.
"Nós éramos uma família rica. Eles ameaçaram meu pai de cortá-lo aqui", disse ela com um puxão na parte inferior de sua orelha. "Ele fugiu. Ele disse que isso foi o suficiente. Temos de deixar tudo e ir embora".
Theodore Shoebat, filho de um ex-terrorista palestino que virou cristão, Walid Shoebat, descreveu a Irmã Hatune em 30 de dezembro de 2013 em um artigo como uma moderna Madre Teresa dos dias atuais.
"A disposição de Hatune para ajudar os perseguidos é tão imensa que ultrapassa o que alguém está fazendo hoje no Oriente Médio", escreveu Shoebat. "Ela já visitou 38 países e trabalhou no Ministério da Caridade e Serviço Social no Zimbabwe, na Turquia e na Índia. Seus atos de justiça naturalmente recebem a ira vociferante dos jihadistas, nas palavras de Dogan, 'eu recebo 18 ameaças de morte em sete línguas'".

Uma mensagem para a América

A irmã Hatune veio para a América na semana passada para buscar doações para o seu ministério para as minorias perseguidas do Iraque, da Síria, do Egito e da Índia. A maioria destas minorias são cristãos, mas muitos no Iraque e na Síria são da antiga seita Yazidi. Em um vídeo, a Irmã Hatune aparece em um campo de refugiados Yazidi cercada por famílias que não têm nada, senão as roupas do corpo.
Ela veio para a América com um pedido de ajuda. Mas ela também veio com uma mensagem para os americanos.
"A América está convidando seus próprios assassinos para a sua porta", disse ela, referindo-se à política dos Estados Unidos de acolher os refugiados muçulmanos através do programa de refugiados das Nações Unidas.
O site WND relatou em 11 de dezembro que a ONU indicou 9.000 refugiados, em sua maioria muçulmanos da Síria, para o reassentamento em cidades norte-americanas e os EUA aceitaram quase 2 milhões de pessoas de países muçulmanos desde 1992.
"Você já tem uma sociedade paralela na América", disse a irmã Hatune. "Em 50 anos eles vão matar aos seus netos diante de seus olhos. O Oriente Médio já está aqui nos Estados Unidos. É aqui. Não é muito longe daqui. Ele está à porta de cada americano".
Essa é uma mensagem que muitas igrejas em Minnesota não estavam prontas para ouvir, disse Debra Anderson, que dirige uma seção local da ‘Aja em favor da América’ e patrocinou a recente visita da Irmã Hatune.
"Ela queria fazer algo na prática. Ela sentia que a fé sem obras era morta", disse Anderson. "Mas foi difícil convencer outros a convidá-la para falar em igrejas em Minnesota. Alguns não queriam convidá-la por causa de sua mensagem. Eles acham que ela critica muito os governos muçulmanos".
Um grupo da igreja que a convidou para falar deu-lhe uma recepção que Anderson descreveu como "gelada".
Eles visitaram uma ordem de freiras católicas e "cinco ou seis delas saíram de perto no fim de sua apresentação", disse ela.
"Algumas das fotos do sofrimento humano, que ela mostrou em sua apresentação, eu acho que elas ficaram realmente abaladas", disse Anderson. "Eu não sei se elas já tinham sido contestadas em sua forma de pensar assim. Mas eram todos fatos. Dissemos a elas para verificarem com outros especialistas.
"Mas tinha esta freira que apenas veio me interromper e dizer, 'Eu não vou ouvir mais nada dela'", disse Anderson. "Eu sofri para conseguir levá-la para as igrejas. Eu realmente sofri".
Anderson disse que colocou um pedido para falar em locais para cerca de 800 pessoas em sua lista de e-mail que representam diversas denominações cristãs.
Apenas alguns responderam com convites.
Uma das freiras do convento em Minnesota interrompeu a apresentação da irmã Hatune com uma preocupação específica.
"Irmã, isso é o suficiente", disse ela, expressando sua preocupação sobre a potencial reação contra os muçulmanos na comunidade se a documentação da irmã Hatune chegasse a ser amplamente divulgada.
Mas enquanto alguns rejeitaram os casos de milhares de meninas sendo estupradas e as imagens de cristãos sendo crucificado pelo ISIS ou de muçulmanos jogando futebol com as cabeças de suas vítimas, outros reagiram vindo depois e perguntando como eles poderiam obter mais informações e possivelmente envolver-se em ajudar os cristãos perseguidos.
"Minha missão é ajudar as pessoas que sofrem onde eles estão", disse a irmã Hatune. "Eles não podem vir a mim, então eu vou a eles. Cem por cento das doações vão para as pessoas que sofrem. Somos todos voluntários. Nós somos totalmente independentes. Nós não temos nenhum grande doador agora. Eu gostaria. Temos dois peixes e cinco pães, e Deus os está multiplicando".
O trabalho é realizado por 5.000 voluntários com uma equipe que não recebe nenhum salário, disse a irmã Hatune.
Um homem idoso alemão deixou para a freira ortodoxa um pequeno salário para viver, quando ele morreu. Ela paga de seu próprio bolso para viajar, ou tem um patrocinador que paga o seu voo, como foi o caso com a sua viagem para Minnesota.
Agora ela está fazendo planos para voltar ao Oriente Médio no Natal, na esperança de trazer alguns presentes para as crianças.
Um dos que ouviram a mensagem dela perguntou se ela estava com medo.
"Todo mundo tem medo", disse a irmã Hatune. "Mas eu sou chamada para demonstrar solidariedade. Você faz isso, não com conversas, mas com ação, com o dever. Jesus é o meu guarda-costas".
A freira diz que a cultura islâmica é, basicamente, "como um cão", que deve ser confrontado. Se há um vazio ou uma fraqueza na cultura cristã, os muçulmanos vão sentir a fraqueza e continuar a marcha para frente e intimidar a cultura nativa.
"Você não pode ter medo da cultura do Islã", disse ela. "Se você correr, eles vão vir atrás de você como faz o cão. Você deve defender seu território. Eu não digo lutar. Digo resistir. Eu digo-lhes: 'Pare. Eu não quero você. Eu tenho meu próprio Deus’. Eles vêm aqui pensando em conquistar o país. Se eles não aceitam o modo de vida americano, que voltem para suas terras originais. O governo tem que entender isso".
Leitura recomendada:
Outros artigos de Raymond Ibrahim

 

PERSEGUIÇÃO A CRISTÃOS? Ministério Público do DF intima dois palestrantes por pregarem contra a "prática homossexual'´

Ministério Público do DF intima dois palestrantes por pregarem a ´LIBERTAÇÃO DE HOMOSSEXUAIS' através dos ensinos bíblicos e que os Ativistas Gays apelidaram de 'cura gay´

Eles ministram o curso ‘Homossexualismo: ajudando, biblicamente, a tratar aqueles que desejam voltar ao padrão de Deus’

Fonte: Jornal O Globo | 23/01/2015 - 20:00
Ministério Público do DF intima dois palestrantes por pregarem a ´cura gay´
O Núcleo de Enfrentamento à Discriminação do Ministério Público do Distrito Federal intimou para depor, nesta sexta-feira, dois palestrantes que ministram um curso para líderes espirituais com ensinamentos sobre a “cura gay”. 

O curso, que dura uma semana e se encerra nesta sexta-feira, se chama “Homossexualismo: ajudando, biblicamente, a prevenir e tratar aqueles que desejam voltar ao padrão de Deus para sua sexualidade”. Os autores da palestra intimados são Claudemiro Soares, especialista em políticas públicas, e o teólogo Airton Williams.

Claudemiro já foi homossexual, não é mais, e relata sua experiência no livro ”“Homossexualidade masculina: escolha ou destino? A atração pelo mesmo sexo e as abordagens terapêuticas para a mudança de orientação sexual”. O livro, segundo ele, é um compilado científico sobre o tema.

A intimação se deu na noite de quinta-feira. Claudemiro contou ao jornal O GLOBO que ele e seu colega ficaram surpresos com a notificação e atribuiu a denúncia aos militantes gays “sociopatas”. Para ele, existe uma “máfia LGBT”.

"É o uso do aparelho do Estado a favor desses ativistas gays sociopatas", disse Claudemiro Soares, que não sabia que o curso se encerrava hoje: "Se não me mandarem para a Papuda antes! ", disse o palestrante.

O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) citou a realização do curso nas suas redes sociais e anunciou que faria uma denúncia ao Ministério Público. O parlamentar classificou o curso como um charlatanismo de fundamentalistas religiosos.

“Por convicções puramente religiosas, esses charlatões se consideram no direito não só de ir contra os direitos humanos de milhões de cidadãos e cidadãs brasileiras, mas também de desconstruir um ponto pacífico entre toda uma comunidade científica: nem a homossexualidade, nem a heterossexualidade e nem a bissexualidade são doenças, e sim uma forma natural de desenvolvimento sexual. A confusão que há na sociedade em relação a uma possível ‘cura gay’ — incitada por esse fundamentalismo religioso — é preocupante e precisa ser esclarecida antes que a saúde física e psíquica de mais jovens seja afetada”, disse Jean Wyllys em uma rede social.

A pastora Damares Alves, ligada aos palestrantes, divulgou uma mensagem entre parlamentares e pastores criticando a ação do Ministério Público e também o deputado.

“Pasmem, senhores, o Ministério Público foi no local e interrompeu o curso. Olhem o tamanho o poder do deputado Jean Wyllys. Conseguiu interromper um curso fechado para líderes evangélicos. Isso é só o começo. Temos que dar uma resposta à altura a esse episódio”, propôs a pastora Damares.
 

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

VEJA 6 FOTOS DE COMO A SITUAÇÃO NA VENEZUELA ESTÁ FICANDO PRETA...O Brasil com Dilma pode ficar IGUAL!

6 IMAGENS QUE MOSTRAM COMO A
SITUAÇÃO NA VENEZUELA ESTÁ
FICANDO PRETA

A escassez bate recorde na Venezuela, a terra do socialismo do século XXI, e obriga
Maduro 
a ir ao exterior pedir ajuda - inclusive ao Brasil.
Venezuelans line up to register their families in a national-wide register for people who do not own their own house, in Caracas
Funcionários do supermercado Unicasa, no bairro de Cumbres Curumo – área de classe média alta, onde muitos militares vivem, por suas proximidades com Fort Tiuna, a principal fortaleza militar da Venezuela, em Caracas – estão vivendo dias tensos. Na semana passada, o estabelecimento recebeu um novo carregamento de leite em pó, produto que na Venezuela é tão escasso quanto água no deserto. Imediatamente se estabeleceu o caos. Moradores de todos os cantos da capital venezuelana foram avisados e em pouco tempo se juntaram aos moradores locais na fila para comprarem sua cota de quatro pacotes, o máximo permitido.
assets_LARGE_t_420_54450446
Num esforço para tentar assegurar a todos os bens mais procurados no país – leite (em pó e líquido), café, arroz, papel higiênico, açúcar, sabão e óleo –, o governo de Caracas regulamentou a venda desses produtos nos supermercados. Mas isso não tem sido o bastante. Cada dia que passa a procura tem sido muito maior do que a oferta.
Há dois anos, a escassez extrema é vista diariamente em cerca de 60% dos produtos pelos venezuelanos, que dispendem entre 6 a 8 horas por semana em filas para comprar os gêneros alimentícios mais básicos, assim como a produtos de higiene e limpeza.
1421078305_731965_1421078370_album_normal
O pior lugar para encontrar comida no país são os centros de abastecimento estatal – onde tudo está sempre em falta –  como o Pdval, o Bicentenário e o Mercales, que são subsidiados e, por isso, oferecem preços mais baixos do que as redes de supermercados privados, tais como a Excelsior Gamma, o Central Madeirense e a Central Plaza.
Francisco Martinez, vice-presidente sênior da FEDECAMARAS (a principal confederação de associações empresariais do país) disse, na última sexta-feira, que, embora seja normal haver alguma porcentagem de produtos em falta ao se iniciar um novo ano, a principal causa da atual escassez é o sistema de controle de preços e de câmbio imposto pelo governo, presente desde 2003.
No último dia 8, a Ministra de Interior, Carmen Melendez, pediu aos consumidores para que “parem de desespero”, pois, segundo ela, há produtos para todos.
“[Fiquem] em silêncio, com paciência, e as prateleiras estarão cheias”.
1421078305_731965_1421078474_album_normal
O desabastecimento da Venezuela ocorre graças a um contexto nacional de recessão econômica, onde há descontrole das contas públicas e inflação anual de 60%, segundo o Banco Central do país. A queda no preço do barril de petróleo, a principal fonte de renda do governo venezuelano, também tem acentuado ainda mais a crise instaurada na nação latino-americana.
1421078305_731965_1421078560_album_normal
O presidente em exercício do país, Nicolás Maduro, está realizando, neste momento, viagens à Rússia, China e outros países da OPEP, tentando conseguir um empréstimo para livrar as contas públicas venezuelanas, arrasadas pela diminuição das receitas fiscais – fato ocasionado pela queda de 55% nos preços do petróleo. O colapso do setor petrolífero no país afetou a importação de alimentos e medicamentos, além de despesas públicas.
O chefe da República Bolivariana tem adiado, há mais de um ano, a implantação de medidas de austeridade, como a revisão do preço da gasolina no país – a mais barata do mundo –  e a unificação dos controles de câmbio (há três taxas de câmbio oficiais que vão de 6,30-50 bolívar/dólar, coabitando com o mercado negro, no qual cada unidade da moeda americana vale cerca de 173 bolívares).
1421078305_731965_1421078670_album_normal
Maduro, cuja popularidade, de acordo com o instituto Datanálisis, despencou para 22% em 2015, acredita fielmente que a salvação do país virá dos países aliados –  como a Rússia e a China – que, caso ele esteja certo, deverão fornecer uma linha de crédito de 15 bilhões de dólares para aliviar o gigantesco déficit nas contas públicas venezuelanas.
Entretanto, o presidente ainda precisa conseguir um sinal concreto acerca do empréstimo para que a economia venezuelana possa respirar.
Maduro, que esteve presente na posse do segundo mandado de Dilma, foi o primeiro compromissooficial da petista nesse ano – e também pediu ajuda para fortalecer os laços comerciais entre as duas nações.
1421078305_731965_1421078798_album_normal
Para diminuir os impactos – e a divulgação – da crise, o governo de Caracas, junto com os proprietários das redes de supermercado, concordaram em proibir os clientes de tirar fotos das geladeiras e prateleiras vazias, registrando a escassez do país. Caso alguém venha a desobedecer a nova ordem e seja pego, os funcionários dos mercados estão instruídos a chamar os soldados da Guarda Nacional, que, na melhor das hipóteses, confiscarão a câmera – e na pior, confiscarão o fotógrafo.
A situação na Venezuela está ficando preta. Resta saber quanto tempo Maduro – e a população – resistem, antes de novos protestos tomarem conta do noticiário internacional.
Fonte: http://spotniks.com/situacao-na-venezuela-esta-ficando-preta/

ISTO É O ISLAMISMO, A SUA VERDADEIRA CARA QUE A MÍDIA TEM TENTADO ESCONDER...

ISTO É O ISLAMISMO, A SUA VERDADEIRA CARA QUE A MÍDIA TEM TENTADO ESCONDER..."JE SUIS CHARLIE" FOI APENAS A DESCULPA PARA OS MUÇULMANOS COMEÇAREM OS ATAQUES CONTRA CRISTÃOS NO MUNDO TODO


45 Igrejas cristãs são incendiadas em protestos no Níger



Desde sábado (17), até a manhã dessa segunda feira (19), ao menos 45 igrejas cristãs (católicas e evangélicas) foram incendiadas em Niamey, capital do Níger. Pelo menos 10 mortes foram confirmadas durante protestos contra a publicação de caricaturas de Maomé no semanário francês “Charlie Hebdo”. Ainda de acordo com o governo local, serão realizados três dias de luto oficial pelas vítimas.
No total, “45 igrejas, cinco hotéis, 36 bares, um orfanato e uma escola cristã foram saqueados antes de seremincendiados”, disse Adily Toro, porta-voz da polícia, em uma coletiva de imprensa.
Igreja cristã é incendiada em protesto contra as publicações ofensivas ao povo islâmico.
Igreja cristã é incendiada em protesto contra as publicações ofensivas ao povo islâmico.
O semanário satírico voltou a publicar charges com o profeta muçulmano em sua primeira edição após o atentado. Atitude não foi vista com bons olhos por alguns devotos do Islã pois, segundo a religião, é proibido retratá-lo de qualquer maneira, satirizando é ainda mais ultrajante.
No Irã, centenas de iranianos também se reuniram hoje em frente à Embaixada francesa em Teerã, para protestar contra as caricaturas. Os manifestantes, cuja maioria é formada por estudantes e fundamentalistas religiosos, exigiam o fechamento da sede diplomática. Bandeiras israelenses e dos EUA foram queimadas. De acordo com uma TV estatal, eventos semelhantes estão sendo registrados em outras cidades do país.
Mais de 115 atos contra muçulmanos foram registrados na França após o ataque contra a revista, que resultou em 12 mortos, no último dia 7 de janeiro. Cifra aponta aumento de 110% se comparado ao mesmo período do ano anterior. Ao redor do mundo ataques xenofóbicos contra a comunidade muçulmana também vem ocorrendo com frequência.
Mesquita Brasil, maior templo muçulmano do País é pichado em São Paulo.
Mesquita Brasil, maior templo muçulmano do País é pichado em São Paulo.

Fonte: http://www.dm.com.br/cidades/2015/01/igrejas-cristas-sao-incendiadas-em-protestos-no-niger.html

Cerca de 2000 pessoas poderiam ter sido assassinadas pelos Muçulmanos do Boko Haram na Nigéria

Cerca de 2000 pessoas poderiam ter sido assassinadas pelos Muçulmanos do Boko Haram na Nigéria      


Agência ACI

Crianças assassinadas pelo Boko Haram
Crianças assassinadas pelo Boko Haram.
ROMA, 10 Jan. 15 (ACI) .- Fontes do governo da Nigéria denunciaram que o grupo extremista Islâmico Boko Haram atacou 16 regiões da cidade nortenha de Baga, incendiando moradias e assassinando os habitantes que não conseguiram fugir, por isso se teme que sejam mais de dois mil mortos.

Conforme informou a BBC, Musa Alhaji Bukar Kukawa, chefe do governo local, “assinalou que os atacantes incendiaram a maior parte do lugar acrescentando que até 2.000 pessoas poderiam ter morrido no primeiro ataque ocorrido no sábado passado”.

Milhares de pessoas fugiram para Maiduguri, a capital do estado de Borno, e outras para o Chad. Entretanto, teme-se que o número de mortos aumente já que segundo relatórios “muitas pessoas se afogaram quando tentavam cruzar o lago Chad”.

Boko Haram instaurou um califado nas regiões que controla no norte da Nigéria.

Por sua parte, a agência vaticana Fides alertou que “a crise no nordeste da Nigéria está se estendendo cada vez mais aos países vizinhos, com ameaças como as de um vídeo atribuído ao líder do Boko Haram, Aboubakar Shekau, contra o Presidente dos Camarões, Paul Biya”.

“No vídeo, um homem que parece o chefe da seita islâmica, ameaçou aumentar a violência nos Camarões se o país não abolir a Constituição e abraçar o Islã”, indicou Fides.
                      
Fonte: IPCO

2 comentários para Cerca de 2000 pessoas poderiam ter sido assassinadas pelos extremistas do Boko Haram na Nigéria

  1. 14 de janeiro de 2015 à 0:51
    É que “pobres”, em qualquer parte do mundo, principalmente nas periferias, quando são massacrados, não chamam a atenção da opinião pública e dos países ricos e emergentes, principalmente os vendedores de armas e “ocultamente” parceiros do crime organizado!
      [Citar]  [Responder]
  2. Lucas Evangelista Lima
    13 de janeiro de 2015 à 23:51
    Porquê? Por acreditarem que Jesus Cristo é o Filho de Deus, o Messias anunciado para a salvação do género humano. Quem os defende? Ninguém. E o Papa Francisco? Nem ele. Solidariza, diz que reza pelas vítimas e seus familiares, apela à comunidade internacional. E na hora de fazer? Nada. Em vez de fazer tudo o que lhe é possível (e ele pode) para proteger os cristãos perseguidos pelo Islão, parece agir ao contrário. Ora vejamos:
    • Que pensar de um Papa que permite que um lider islamita, nos jardins do Vaticano, diante do próprio Papa, dirija uma prece a Alá, rogando-lhe a vitória sobre os infiéis?
    • Que pensar de um Papa que propôs dialogar com a ISIS, os terroristas muçulmanos que, diariamente perseguem e mantam os cristãos na Síria? Sabendo o Papa, como sabemos todos, quais são os seus propósitos, ele não podia em são juízo, fazer tal proposta.
    Sobre a situação dos cristãos no Médio Oriente, ele não escreve cartas aos líderes desses países e aos líderes dos países ocidentais, solicitando a sua actuação, mas para ajudar os seus amigos comunistas de Cuba,achou todo o tempo para escrever cartas ao Fidel, ao Raul, a Obama (só este é que podia encetar esta traição).
    Pobre Francisco!
    Gloriosos cristãos!
O QUE FAZER? 
Escreva para o embaixador da Nigéria, em Brasília, Sr. Adamu Azimeyeh Emozozo. O endereço da Embaixada é: Av. das Nações Lote 05, s/n - Asa Norte, Brasília - DF, 70800-400, ou telefone para (61) 3208-1700 (61) 3208-1700 e deixe seu protesto pelo Governo da Nigéria ter permitido este massacre. Aproveite para pedir explicações do por que o Governo da Nigéria não tomou as devidas medidas para evitar que este massacre terrível acontecesse.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...